Blog da responsabilidade de Nelson Correia, Advogado, Vereador na Câmara Municipal de Penafiel, deputado na IX Legislatura e militante do Partido Socialista

Domingo, 1 de Junho de 2008
Muda-se de líder, mantém-se a demagogia
Os militantes do PSD decidiram eleger, por uma curta vantagem, Manuela Ferreira Leite (MFL). Foi uma derrota para a ala dos Menezes, e outros que tais, cujo líder demissionário revelou a sua verdadeira face, na hora da despedida, ao qualificar de canalha quem constantemente minou a sua liderança.

No discurso de vitória de MFL, notou-se, pela primeira vez, uma sensibilidade para com os problemas sociais do País. Estranha preocupação esta, pois, no tempo em que foi Ministra das Finanças, essa preocupação era inexistente. Mais hilariante foi o facto de se revelar uma defensora da classe média, aquela classe que serviu de alvo de ataque para combater o défice na sua altura.

O PSD passa por ser um partido com características muito próprias, elegendo o populismo enquanto se mantém na oposição e praticando alguma demagogia enquanto está no poder (pelo menos recentemente).

Mas existiu outro facto peculiar nesta eleição interna do PSD: esfumou-se o surgimento de uma alternativa a este Governo, para algumas pessoas. Não que as mesmas tenham alguma alternativa, mas o simples facto de este governo ter combatido alguns privilégios corporativos acentuou o azedume desses sectores, que apenas destilam ressentimento por o Mundo estar a evoluir.

Para o PSD, ganhou alguém que é sério e que não se deixa cair no folclore dos Menezes e dos Lopes.
</>

tags: ,

publicado por pena-fiel às 23:36
link do post | comentar | favorito

Domingo, 24 de Fevereiro de 2008
O meu/teu/dele PSD o túnel e outros
Continua a saga da liderança, ou suposta liderança do PSD, repartida por duas cabeças. Esta saga tem-se revelado um tesouro de momentos menos bem conseguidos, completa ausência de ideias, facto já admitido por uma liderânça e pelo constante recorrer ao populismo. Isto tudo, claro, multiplicado por dois, pois o PSD tem uma dupla liderança. Portanto, a minha referência a mais um momento menos feliz deste partido, é transformada na realidade em duas referências, pois existem dois líderes. Vejamos então...

Um líder, o que foi eleito em eleições directas, o Luís Filipe Menezes, que após a multa aplicada pelo Tribunal Constitucional por finaciamentos ilegais, afirmou o o PSD "dele" nada tinha a ver com ilegalidades. Este líder, como a grande maioria dos líderes partidários no contexto nacional ou em contextos mais pequenos, sofre de um grande defeito, pensa que o partido é propriedade sua. Estes grandes líderes têm de se mentalizar que os partidos são propriedade dos militantes, que aderiram à estrutura por partilharem de conjunto em comum de ideologias e princípios e são os militantes que através de eleições, que eu creio que sejam minimamente legais e livres que escolhem os diferentes líderes para os mandatos que acharem necessários. No entanto, uma eleição ganha, não é uma escritura de compra de um partido.

Relativamente ao outro líder, o que ja foi Primeiro-ministro, no seu blogue escreveu um artigo sobre as últimas cheias na capital. Estava eu á espera de uma reflexão sobre as causas de tão grande impacto deste fenómeno natural nas populações e de algumas propostas para minimizar o sofrimento dos moradores em futuras cheias, mas não. Vejo um artigo de auto-elogio ao Túnel do Marquês que não ficou inundado e afinal é um túnel seguro.
Num artigo posterior, vem como que uma queixa do tratamento dado pela SIC ao Primeiro-Ministro na sua última entrevista. Em vez que criticar as respostas e ideias apresentadas pelo José Sócrates, limitou-se a apontar um defeito à democracia e a referir que ao contrário do Primeiro-Ministro, foi bastante mal tratado noutra entrevista, numa estação de televisão privada, propriedade de um antigo líder do seu partido. Hilariante, no mínimo.
</>


publicado por pena-fiel às 22:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 30 de Dezembro de 2007
PSD a dar tiros para o ar
Já desisti de tentar perceber este novo PSD. Se numa entrevista ao Expresso, o novo líder, Luís Filipe Menezes, prometeu de desmantelava o enorme peso do Estado, tirando do mesmo o Ambiente, as Estradas, a Energia entre outros sectores, e iria acabar com um suposto monopólio do Estado relativamente à Saúde e Educação.

Noutra entrevista ao JN, um vice-presidente do Partido, promete rever os fechos dos SAP e manifesta a sua discordância contra um suposto desmantelar do SNS, ou seja de um serviço do Estado.

Moral da história, num dia deve-se acabar com o Estado, no dia seguinte, porque existem umas manifestações contra o fecho das urgências e outros serviços do SNS, o PSD muda radicalmente de discurso.

Será que ainda iremos ver este PSD a defender a Reforma Agrária????
</>


publicado por pena-fiel às 20:01
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
28
29

30


posts recentes

Muda-se de líder, mantém-...

O meu/teu/dele PSD o túne...

PSD a dar tiros para o ar

arquivos

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

tags

todas as tags

links
participar

participe neste blog

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds